Você está em - Home - Artigos - Quantificar o declínio na prevalência nascimento de defeitos do tubo neural na Inglaterra e País de Gales.

Quantificar o declínio na prevalência nascimento de defeitos do tubo neural na Inglaterra e País de Gales.

Na Inglaterra e País de Gales houve um grande declínio na prevalência nascimento de defeitos do tubo neural (DTN) da década de 1970 (taxas relatadas de cerca de 3,2 por 1000 nascimentos) ao presente (0,1 por 1000 nascimentos em 1997). O resultado do número de gravidezes terminações DTN aumentou de 0,02 por mil em 1970 para 0,66 por mil em 1997, muito pequeno aumento para explicar a diminuição dos nascimentos DTN. Alguns sub-registro de terminações DTN é reconhecido. Estimou-se a sua extensão utilizando 1976-80 dados sobre relatado sistema nervoso central (CNS) terminações de defeitos e nascimentos DTN em uma análise em que o número verdadeiro total de gravidezes DTN durante este período curto foi assumida ter ou permaneceu constante ou então ter sido mudando por um valor constante por ano. A estimativa era que 56% das terminações DTN não foram relatados como tal e esta montado bem aos dados. Em 1997, a prevalência estimada de nascimento DTN foi de 0,14 por 1000 nascimentos, uma queda de 96% desde 1970. Este 96% foi repartida em 40% devido à triagem pré-natal e interrupção da gravidez e 56% devido a um declínio na incidência. Durante o período de 1970-1997 houve um aumento em folato, e isto irá ter pelo menos em parte, causou a diminuição da incidência de DTN.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10693061



Texto Original

n England and Wales there has been a large decline in the birth prevalence of neural tube defects (NTDs) from the early 1970s (reported rates of about 3.2 per 1000 births) to the present (0.1 per 1000 births in 1997). The reported number of terminations of NTD pregnancies increased from 0.02 per 1000 in 1970 to 0.66 per 1000 in 1997, much too small an increase to explain the decline in NTD births. Some underreporting of NTD terminations is recognised. We estimated its extent using 1976-80 data on reported central nervous system (CNS) defect terminations and NTD births in an analysis in which the true total number of NTD pregnancies during this short period was assumed to have either remained constant or else to have been changing by a constant amount per year. The estimate was that 56% of NTD terminations were not reported as such and this fitted the data well. In 1997 the estimated birth prevalence of NTDs was 0.14 per 1000 births, a fall of 96% since 1970. This 96% was apportioned as 40% due to antenatal screening and termination of pregnancy and 56% due to a decline in incidence. Over the period 1970-97 there was an increase in dietary folate, and this will have at least in part caused the decline in incidence of NTDs.

Desenvolvimento WSB